Novos Talentos UDESC 2010- Parte 2

Preferi dividir o post sobre o desfile da UDESC em duas partes, para ficar menos massante. Então, continuando o assunto sobre as coleções que se destacaram, vou começar esse post falando da estilista Alice Yumi Sinzato, que inclusive participou do SCMC este ano, na equipe da UDESC+Lancaster. Também desfilou no projeto Ponto Zero, concurso organizado pela ABIT junto a Casa de Criadores.
Sua coleção explorou principalmente o trabalho de estamparia digital, utilizando imagens a partir de fotografias para criar estampas que foram impressas em diversos tipos de tecidos, como algodão, cambraia, tafetá e organza. O conceito esteve ligado à Vênus e sua representação da beleza casual encontrada na natureza. Não pude deixar de perceber a influência da coleção desenvolvida para o SCMC, principalmente nas meias calças estampadas. Particularmente gostei muito da forma como a organza foi usada como camada sob outros tecidos e depois estampada, criando uma transparência bem interessante. O resultado final foi uma coleção feminina e com grande riqueza gráfica.




Helena Kussik, colega de Alice Sinzato no SCMC e Ponto Zero, trouxe para a passarela uma coleção masculina, e chamou a atenção por causa de uma forte identidade que se refletiu diretamante na imagem da coleção. Tanto é que ao final do desfile, quando entrou junto com os modelos, criou uma associação poderosa entre criação e criador. Também senti um ar teatral nos looks, que foram inspirados no sincretismo religioso nordestino e nos objetos ex votivos depositados em salas de milagres. Gostei muito do efeito criado no cabelo dos modelos, fazendo lembrar figuras ou estátuas relegiosas. As cores quentes e marcantes junto com os detalhes e acessórios lembraram bem a cultura nordestina, e remeteram um pouco ao figurino lúdico da série Hoje é dia de Maria.



Outra coleção que me chamou a atenção foi da estilista Vanessa Marconi, e seu futurismo romântico. A inspiração foram os sonhos, nem sempre compreensíveis e muitas vezes improváveis. Os tecidos fluidos criaram uma atmosfera onírica e as cores foram esquecidas, explorando nas peças apenas o branco, em vários tons. A coleção estava bem editada e trouxe um trabalho delicado de texturas feitas com vários tecidos diferentes, como voil, cetim, renda, tule francês, filó, paetê, entre outros, simbolizando memórias que se sobrepõem em camadas de babados. Achei o vestido de mangas com peito e gola prateada o ponto alto da coleção.




Eduarda Abrantes criou mulheres fortes, femininas e ao mesmo tempo sofisticadas, sabendo dialogar muito bem com o que parece ser seu público-alvo. Apresentou um trabalho de bom gosto e equilibrado, ficando a meio caminho entre o conceitual e o comercial, ao estilo de muitas marcas da SPFW. A estilista trabalhou com o conceito de deformação e reconfiguração das formas do corpo. Por isso, os looks apresentavam uma estética desestruturada, brincando com a leveza dos caimentos de tecidos ora mais fluidos, ora mais pesados. As formas bem calculadas revelam harmonia em meio à desordem, criando novas linhas e proporções em peças de alfaiataria. Em meio a muitas coleções conceituais, se destacou por criar uma coleção bonita, comercial, sem perder com isso o conteúdo de moda. O tipo de trabalho que é bem visto no mercado.



Por último, vou falar do trabalho da estilista Aline Moreira dos Santos, que trouxe para a passarela uma coleção infantil, deixando todas as pessoas que estavam na platéia contagiadas com a graça e ingenuidade das suas modelos mirins. As peças apresentaram muito bom gosto, e poderiam facilmente ser interpretadas de forma mais comercial para o mercado. A inspiração foi o livro Momo e o Senhor do Tempo, com sua atmosfera lúdica e antagônica. Essa foi a base para a utilização de cores e formas hora leves e graciosas, ora rígidas e frias. As peças apresentavam texturas delicadas e tingimento manual. Amei o capuz vermelho que lembra textura de escamas, vai dizer que toda criança não gostaria de ter um?




Gente, quem assistiu aos desfiles, viu as fotos, leu o texto, etc, pode e deve comentar sobre o post. O que eu digo aqui não é absoluto, é apenas minha opinião. Com certeza tem muita gente que pensa diferente, que achou outras coleções legais, ou tem informações para dividir que eu não falei. O blog também é um espaço aberto para as pessoas trocarem opiniões, até mesmo fazer críticas, desde que seja uma crítica construtiva, claro. Fica o convite então! Parabéns a todas as formandas do curso de moda da UDESC. E agradeço novamente ao Magno Bottrel, que tirou as fotos no dia exclusivamente para o modasobretudoblog, luxo neh!
Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Novos Talentos UDESC 2010- Parte 2

  1. Oi,
    sabe como consigo as fotos do meu desfile?
    Grata,

    Ianah

  2. oi glaucia!!
    achei muito boa a sua cobertura sobre o desfile de formandas da UDESC desse ano, parabéns! são poucos os veículos que se dedicam a fazer uma cobertura mais detalhada e avaliar mais profundamente o evento e as coleções, e nesse ponto achei muito interessante ler a sua opinião.
    o evento da UDESC melhora e aumenta a cada ano, e isso em parte graças à divulgação e reconhecimento que conseguimos, espero que melhore ainda mais!

    beijos!

  3. Pingback: Cobertura do evento « TIME LAPSE * UDESC 2010

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s